segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

DIETA PARA GASTROENTERITE – O QUE COMER


A gastroenterite é uma doença caracterizada pela inflamação e irritação dos intestinos e do estômago, que é provocada por uma infecção bacteriana ou viral.

A condição pode ser espalhada por meio do contato com alguma pessoa infectada pelo seu vírus, através da água ou do alimentado contaminado ou pelo fato da pessoa deixar de lavar as mãos depois de utilizar o banheiro ou de trocar as fraldas de um neném.


Ainda que seja menos comum, também é possível pegar a gastroenterite por meio de metais pesados presentes na água como mercúrio, arsênio, cádmio e chumbo, pelo consumo de muitos alimentos ácidos como frutas cítricas, através de toxinas que podem ser encontradas em alguns frutos do mar e por medicamentos como antibióticos, antiácidos, laxantes e remédios quimioterápicos.

A doença pode ser bastante desagradável, entretanto, ela se dissipa dentro de um intervalo de aproximadamente uma semana. Ela pode atingir pessoas de todas as idades, porém, é particularmente comum em crianças pequenas.

Os sintomas associados à gastroenterite são: diarreia líquida repentina, dor de estômago, cólica, febre, náusea, dor de cabeça, perda de apetite, dores nos membros e desidratação, que pode ser provocada pelo vômito e pela diarreia.
O que comer? Dieta para gastroenterite

De acordo com o NHS Scotland, quando a pessoa experimentar diarreia repentina e vômito, deve ficar em casa até que se sinta melhor e só pode voltar para a escola, faculdade ou trabalho no mínimo 48 horas que os sintomas da gastroenterite tiverem ido embora, visto que a doença pode ser facilmente transmitida.

Já a Mayo Clinic, organização de serviços médicos e pesquisas médico-hospitalares dos Estados Unidos, orienta quem suspeita que tem a gastroenterite a deixar de comer durante algumas horas para permitir que o estômago se acomode.

Falando sobre a dieta para gastroenterite, o sistema público de saúde de Escócia recomenda consumir bastante água – mais do que o costumeiro, pois há a necessidade de repor os fluidos eliminados por meio do vômito e da diarreia.

Segundo o NSH Scotland, o melhor mesmo é tomar água, entretanto, a pessoa também pode ingerir o líquido por meio de sucos de frutas (ou vegetais) e sopas. Quando houver sinais de desidratação como boca seca ou urina escura, a organização recomenda utilizar bebidas especiais para reidratação como o soro encontrado em farmácias.

Pele seca, sensação de vertigem e muita sede são outros sintomas de desidratação. Quando o paciente com gastroenterite tiver qualquer um dos sinais de desidratação, o médico deverá ser informado.

Além da água, a Mayo Clinic também indica a ingestão de bebidas esportivas para prevenir a desidratação. Porém, a organização alerta que tomar os líquidos muito rapidamente pode piorar a náusea e o vômito e recomenda que a pessoa ingira com frequência pequenas quantidades de fluidos ao longo de algumas horas em vez de beber tudo de uma única vez.

Na hora de comer, o ideal é optar por pequenas quantidades de alimentos como sopa, arroz, macarrão e pão dentro da dieta para gastroenterite, completou o sistema público de saúde da Escócia.

As sopas e caldos utilizados na dieta para gastroenterite devem ser feitos com ingredientes que possam ser facilmente digeridos, como macarrão cozido e grãos e vegetais macios.

Incluir os vegetais na sopa é uma maneira de aumentar o aporte de antioxidantes ao corpo, o que fortalece a habilidade do organismo para lutar contra infecções e doenças.

Recomenda-se ainda deixar de lado os temperos picantes, que podem piorar os sintomas ou desagradar o apetite, substituindo-os por temperos mais leves como aipo seco ou salsinha.

Adicionalmente, produtos à base de grão como pães, cereais e arroz fornecem quantidades significativas de glicose, que é a principal fonte de energia do corpo. Os grãos integrais contêm mais nutrientes, fibras e proteínas, porém, são mais difíceis de ser digeridos durante a gastroenterite, completou ela.

Assim, durante a recuperação, o conselho é optar por pães macios, arroz branco enriquecido ou arroz integral, cuscuz e sopa de cevada, por exemplo, na dieta para gastroenterite.

No mesmo sentido, a Mayo Clinic indica o consumo de alimentos brandos e de fácil digestão como gelatina, torradas, banana e frango. Conforme a organização, é aconselhável comer pequenas porções de alimento com frequência para quem tem a náusea e dar uma pausa no comer caso a náusea retorne.

Além disso, na dieta para gastroenterite é necessário evitar leite e produtos laticínios, cafeína, bebidas alcoólicas, nicotina e comidas gordurosas ou muito temperadas, por exemplo, durante alguns dias, completou a organização.

Alimentos como os produtos laticínios podem agravar a diarreia. A recomendação do Centro Coordenador Nacional de Informações sobre Doenças Digestivas dos Estados Unidos é incorporar alimentos macios e brandos como a banana e a batata conforme a diarreia começar a apaziguar.

Outros itens que podem ser úteis no decorrer do tratamento na dieta para gastroenterite são maçãs ou peras descascadas e assadas, couve-flor cozida ao vapor e cenoura bem cozida.
Outras recomendações

A pessoa com gastroenterite também precisa descansar bastante durante o processo de recuperação da doença. Ela ainda pode tomar medicamentos para febre, para dores, contra a medicação e contra a diarreia.

Porém, o ideal é que ela ligue para o médico ou consulte o seu farmacêutico de confiança para checar quais tipos de remédios são indicados para ela e quais ela pode usar, tendo em vista seus sintomas e o seu histórico de saúde e uso de medicamentos.

Quando a pessoa tiver sintomas de desidratação severa (tontura persistente, perda de consciência e passagem de pouca ou nenhuma urina), diarreia com sangue, vômito constante com incapacidade de reter líquidos no corpo, febre acima de 38º C ou os sintomas da gastroenterite não começarem a melhorar dentro de alguns dias, ela deve buscar rapidamente a ajuda do médico.

O médico também deve ser procurado por pessoas que retornaram nas últimas semanas de um local onde o saneamento é precário e por quem esteja experimentando o vômito e a diarreia e já sofra com uma condição subjacente como doença renal, doença inflamatória intestinas ou tenha um sistema imunológico enfraquecido.

Lembre-se ainda de que os dados apresentados aqui servem apenas de informação – qualquer diagnóstico ou tratamento pode ser determinado somente por um médico.

Referências adicionais:

    https://www.webmd.com/digestive-disorders/gastroenteritis#1
    https://www.nhsinform.scot/illnesses-and-conditions/stomach-liver-and-gastrointestinal-tract/gastroenteritis
    https://www.mayoclinic.org/first-aid/first-aid-gastroenteritis/basics/art-20056595